domingo, 27 de abril de 2008

do gelo, a rosa da vitória

from the lost music sessions:

the angels return


porque nada há de mais triste e miserável do que nada ter para dar

originalmente postado aqui



Sigur Rós - Heima

originalmente postado aqui





sigur rós + space

originalmente postado aqui

tell me a story



John Barry's music for 'Out of Africa'

"I had a farm in Africa at the foot of the Ngong Hills.
...
The views were immensely wide. Everything that you saw made for greatness and freedom, and unequaled nobility.
...
Up in this high air you breathed easily, drawing in a vital assurance and lightness of heart. In the highlands you woke up in the morning and thought: Here I am, where I ought to be."

"If I know a song of Africa, of the giraffe and the African new moon lying on her back, of the plows in the fields and the sweaty faces of the coffee pickers, does Africa know a song of me?
Will the air over the plain quiver with a color that I have had on, or the children invent a game in which my name is, or the full moon throw a shadow over the gravel of the drive that was like me, or will the eagles of the Ngong Hills look out for me?"
Karen Blixen

originalmente postado aqui

bichos do mar

Explorei intensamente o ambiente marinho de Luanda.
A praia era obrigatória para suportar o calor, e como miúdo que adora água, apanhei e observei tudo o que se possa imaginar.

Na Ilha de Luanda, foram colocados quebra-mares para reter o avanço do mar e a destruição da ilha pelas calemas (na gíria local, são as marés vivas bi-anuais, com ondulação muito volumosa). Soube há poucos anos que foi o LNEC em Lisboa que fez o estudo desses quebra-mares.
Os quebra-mares, promoveram um habitat notável para muitas espécies marinhas. Umas criavam lá os seus "ninhos", outras os seus refúgios, outras ainda elegiam aquilo como zona de caça.

Assim, era frequente verem-se a olho nu ou com máscara: moreias, polvos, garoupas, lagostas, caranguejos, e os mais variados peixes de passagem.
Apanhei à mão sem qualquer artefacto, garoupas pequenas e lagostas. Já os polvos não consegui apanhar, embora tivesse tocado em muitos...
Caranguejos, era fácil apanhar fora d'água.



O peixe-Baiacu era abundante, e pescava-se imenso para desgosto de quem andava à pesca com cana. É que esse peixe tem um espinho de cada lado, perto da cauda, que injecta em quem nele toca, um veneno perigoso. Para além disso, apenas alguns ilhéus o sabiam tratar para comer...
Outro peixe "maldito", era o Peixe-Balão, que era largado fora com anzol e tudo...
Tubarões-martelo com cerca de 1 metro, eram capturados ao largo nas canoas, e serviam para belos bifes.

Em certas alturas do ano (cerca de Abril) apanhavam-se na zona de rebentação virada ao mar aberto, uns moluscos muito bonitos e saborosos. Eram as KITETAS, de forma triangular e cor rosada. No Mussulo, também se apanham.

Em águas calmas, encontravam-se ostras em zonas algo profundas e as MABANGAS em zonas menos profundas. As mabangas, são moluscos quase esféricos de cor cinza-escura. Haviam com fartura numa área que foi aterrada: Chicala e Praia-do-Bispo. Mas também haviam na Corimba.
originalmente postado aqui

sábado, 26 de abril de 2008

hanging about


originalmente postado aqui

i could be a shining dolphin

you would be a strawberry sea

i would swim and dive in it

drawing an arc through the rainbow

made by the light of a full moon

funge, Chicala e Praia do Sol

De vez em quando, a minha mãe obrigava-nos a todos a ir para a Praia da Chicala.

Isto, porque a Ilha virada a Oeste, tinha o mar mto bravo para se banhar...

Nós, os filhos, fazíamos a vontade a contra-gosto...


Mas eu pirava-me. Ia laurear por ali.

Nas imagens abaixo, vê-se a Chicala e a Praia do Sol.

Eu passeava por aquele paraíso, hoje desaparecido. Na altura, como se pode ver, existiam apenas algumas construções em madeira e folhas de palmeira, para habitação e arrumos de pesca.

E fartava-me de nadar. Ia até à Praia do Sol.

Falava também com os seus habitantes, pescadores, e brincava com os miúdos da minha idade.

Na sua curiosidade típica, pais e filhos perguntavam-me onde e como vivia, o que comia, etc.

Respondia que comia carne e batatas.

Diziam-me que não! Para ser forte e ter músculos, tinha que comer FUNGE!

Funge, era coisa que só tinha comido raras vezes, com galinha e molho estupidamente picante. E era a única forma de engolir aquilo: com muito molho picante.

Só muito mais tarde, nas matérias de fisiologia do esforço, eu percebi como eles tinham razão: os hidratos de carbono, são a base energética e construtiva da massa muscular.


Fotos do "prof2000". Clicar para ampliar

originalmente postado algures em 2008-02-12

domingo, 6 de abril de 2008

big ideas

originalmente postado aqui

"Nude (big ideas)", foi tocada ao vivo desde 1997. Foi "arranjada" e finalmente colocada em "in rainbows" em 2007.Há muito que Thom Yorke e os RadioHead fazem isto: compor e mostrar ao vivo obras não editadas nos seus discos. Já o haviam feito, por exemplo, com 'lucky' para "The Help Album", compilação para auxílio de crianças vítimas da guerra em 1995. Esta belíssima canção de amor, só foi colocada na obra-prima "Ok Computer" 2 anos depois.

...este clip dos próprios RadioHead, sem qualquer limitação por direitos claustrofóbicos, chegou-me por uma particular conjugação de factores.

Eis "Nude". De arrepiar os cabelos:


premonitória e originalmente postado aqui...